Empresário proprietário do Astra utilizado em assalto a relojoaria em Tupã está desaparecido.

0
393

O empresário L.C.M., 55 anos, morador no Jardim Alvorada, em Dracena, desapareceu na véspera de Natal pela manhã, após falar com a esposa dele por telefone e dizer que estava saindo da residência para tentar vender o veículo Astra de propriedade dele. J.G.S., mulher dele afirmou na polícia que meia hora depois do primeiro contato, ligou para ele e tiveram uma conversa normal e sem detalhes.

Segundo ela, às 15h, a Polícia Militar foi até a casa onde reside e perguntou por L.C.M., porque o Astra com placas de Dracena tinha sido usado por uma quadrilha em um assalto a uma relojoaria em Tupã. Ela afirmou que tentou falar com o marido por telefone, mas as ligações caíram na caixa postal.

O roubo a joalheria localizada na avenida Tamoios, em Tupã, foi praticado por quatro homens armados aparentemente com revólveres, às 12h55, quando entraram na loja e na frente dos clientes praticaram o assalto e levaram joias, semijoias, relógios e outros objetos folheados a ouro, que foram colocados dentro de um saco preto.

Consta que os bandidos fugiram no veículo Astra, prata, com placas de Dracena, de propriedade do empresário desaparecido. Esse veículo foi interceptado pela Polícia Militar em Santópolis do Aguapeí onde os autores do roubo atiraram contra a polícia e houve revide.

O Astra foi abandonado e os ocupantes fugiram dentro de um matagal tomando rumo ignorado. Mesmo com o cerco policial efetuado com a participação de policiais de Tupã, Parapuã, Santópolis do Aguapeí, Araçatuba, Força Tática de Marília – TOR da Polícia Rodoviária não foram presos. Dentro do Astra de Dracena, foram encontrados e apreendidos uma bolsa de tecido preta, objetos usados no roubo a joalheria de Tupã, tais como um coldre de arma de fogo, um rádio transmissor receptor (HT) e parte dos objetos roubados do estabelecimento comercial, sendo devolvidos a vítima posteriormente.

Uma testemunha contou que um dos assaltantes, moreno claro, forte, estava com uma bolsa contendo uma chave de fenda, que usava para arrombar as gavetas e ter acesso aos mostruários de joias.

O assalto praticado pela quadrilha dentro da joalheria teria durado entre cinco a dez minutos, sendo que os clientes foram ameaçados por armas de fogo.

A ação dos bandidos foi filmada por câmeras de segurança que podem ajudar a polícia nas investigações.

Entre os objetos recuperados constavam 144 pares de anéis infantis de ouro, 22 pares de brinco, sete pedaços de correntes quebradas, seis gargantilhas folheadas a ouro, 131 pingentes de ouro, 14 pulseiras folheadas a ouro, um boné preto, seis folhas do tipo mosquetão, uma faca e oito relógios de pulso.

Até ontem, 26, à tarde, o empresário morador de Dracena continuava desaparecido e o caso está registrado no Plantão Central da Polícia Civil.

 

Fonte: Portal Regional Dracena

 

Foto: Mais Tupã!

fileg_240469