Dracenense desaparecido suspeito de participação em roubo na joalheria em tupã é localizado em canavial

0
206

morador de Dracena, Luiz Carlos Moretti, 55 anos, que havia desaparecido na véspera do Natal e o Astra dele foi abandonado em Santópolis do Aguapeí, após ser usado em roubo a uma relojoaria em Tupã, foi localizado vivo em Flórida Paulista.

 

Segundo a polícia, ele confessou ter sido obrigado a participar do assalto e vai ficar preso temporariamente em Tupã.

Ele foi localizado, por volta das 15h desta terça-feira (30), amarrado em um canavial, em Flórida Paulista.

 

Segundo a Polícia Militar, um senhor que trabalha no local encontrou o homem amarrado e chamou a polícia. Ao chegar no local, o homem disse aos policiais que era morador de Dracena.

 

Após levantar a ficha do empresário, a polícia o identificou e o encaminhou à delegacia de Flórida Paulista para prestar esclarecimentos.

 

De acordo com a Polícia Civil, o carro em que ele estava foi encontrado ainda na tarde do dia 24, na cidade de Santópolis do Aguapeí (SP), após perseguição da Polícia Militar. Nele estava parte dos produtos roubados de uma relojoaria em Tupã. Os envolvidos conseguiram fugir por uma mata.

O roubo à relojoaria ocorreu por volta das 13h do dia 24. Alguns homens, munidos com arma de fogo, roubaram joias e outros objetos de um estabelecimento em Tupã e fugiram em no veículo GM Astra, que pertencia ao empresário.

 

No dia seguinte à ocorrência, familiares do empresário registraram, no Plantão Policial de Dracena, um boletim de ocorrência de desaparecimento.

Durante as investigações, a polícia apurou que o suposto homem “desaparecido” poderia estar envolvido no roubo ocorrido na cidade de Tupã, sendo o mesmo reconhecido pelas vítimas pelo envolvimento no fato. Após o reconhecimento, a Polícia Civil de Tupã representou pela prisão temporária do homem, por cinco dias, o que foi decretado pela Justiça.

 

Conforme a polícia, ao ser encontrado, o empresário foi preso e encaminhado à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Tupã para prosseguir com as diligências.

“Nós fizemos um Boletim de Ocorrência de aparecimento, já que havia um boletim de desaparecimento.

 

Como já havia um mandado de prisão feito por lá, ele foi encaminhado para a Delegacia de Investigações Gerais [DIG], em Tupã, para prestar esclarecimentos”, disse o delegado André Eustáquio da Fonseca, sobre o procedimento adotado com o empresário.

 

Tupã Noticias com informações do G1 Presidente Prudente e Portal Regional de Dracena

vBZpOIvxqPaeje4