Com 39 casos de dengue por dia, Marília discute ações de emergência

0
269

1.170 casos foram registrados em janeiro e postos de saúde estão lotados.
Atendimento médico será priorizado e novas casas serão vistoriadas.

 

A Secretaria de Saúde de Marilia (SP) divulgou um dado alarmante neste sábado (31): 1.170 casos de dengue confirmados somente em janeiro. Em média, 39 pessoas contraem a doença por dia na cidade.

A epidemia mobilizou funcionários da área da saúde neste fim de semana e o grupo de médicos e enfermeiros do município discute ações para atender o público e frear a proliferação do mosquito transmissor da doença.

Com os casos aumentando rapidamente, os postos de saúde de Marília estão cheios praticamente o dia todo. Uma das medidas emergenciais da Secretaria da Saúde foi reunir enfermeiros e auxiliares das unidades básicas para dar novas orientações e tentar descongestionar o sistema. O novo protocolo de atendimento serve para dar atenção maior a pacientes que já tiveram dengue e podem ter complicações com a doença ou pessoas que têm doenças crônicas e estão com sintomas de dengue.

Segundo a supervisora do setor de epidemiologia, o atendimento vai ser priorizado para pacientes em situação de risco, que vão receber um acompanhamento diferenciado.“Cada caso deve ser analisado de forma individual para medicar o paciente da maneira mais adequada. Entre os grupos que estamos verificando estão pessoas idosas, crianças de dois anos e pacientes suscetíveis à complicações da doença”, afirma Raquel Ramirez.

Além disso, cerca de 300 agentes fazem no fim de semana um mutirão de combate à dengue. Quase 9 mil imóveis serão vistoriados somente neste sábado. “Nos últimos 10 dias, cerca de 300 agentes de saúde visitaram mais de 26 mil imóveis da cidade. Eles não tiveram acesso em aproximadamente um terço das residências. Por isso, decidimos realizar uma nova tentativa de inspeção. É uma ação conjunta em todos os bairros da cidade”, ressalta Lupércio Garrido Neto, coordenador do setor de divisão de zoonoses da secretaria da saúde.

g1Fonte: G1