Na lama, fãs, curiosos e jornalistas se aventuram por maior avião do mundo

0
528

O maior avião do mundo, o Antonov An-225 Mriya, pousou pela primeira vez no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), às 11h02, desta segunda-feira (14), vindo de Houston, nos Estados Unidos. Mas, quem decidiu acompanhar o “gigante” de 84 metros de comprimento e 175 toneladas precisou de muita determinação e paciência para vencer a lama e a chuva, que não dava trégua. Foi uma tarefa só para fortes

Cerca de 80 jornalistas e 40 spotters, que é como são chamados os apaixonados por fotografar aviões, viveram uma verdadeira aventura antes do desfile da aeronove na “passarela”, já que ela é considerada por muitos a “Gisele Bündchen” dos ares.

“As ações no aeroporto foram suspensas para permitir que a aeronave desfilasse sozinha. A passarela do aeroporto estava disponível para a nossa Gisele Bündchen. É emocionante ter uma aeronave dessa no pátio, é um evento memorável”, disse o gerente de operações do aeroporto Marcelo Mota.

Ônibus atola em Viracopos na chegada do Antonov (Foto: Roberta Steganha/G1)

Ônibus atola em Viracopos na chegada do Antonov (Foto: Roberta Steganha/G1)

Lama e chuva
Logo no início, por volta das 9h, os ônibus que acompanhariam os grupos até a cabeceira da pista 15, que é mais distante, ficaram atolados na lama.

Foi preciso andar mais de dois quilômetros no barro debaixo de uma garoa para conseguir chegar até o local onde a aeronave era aguardada.

Muitos escorregaram, ficaram com os pés sujos de lama, inclusive, a repórter do G1 foi um deles, mas nada tirava o entusiamo de ver o “gigante”.

Dia para guardar na memória
Mas, a aventura valeu cada momento e nunca vai sair da memória do spotter Daniel Luis Landucci.

“Hoje é um dia muito especial porque veio para o Brasil o Antonov An-225, porque é a primeira vez que ele vem para Campinas e segunda no Brasil. A gente conseguiu trazer spotters da região, alguns de Recife, Bahia, então, é bem bacana para a gente que fotografa. Tava ansioso desde pequeno praticamente, nunca tinha visto ele de perto”, conta.

O spotter Rafael Diniz também concorda que valeu a pena caminhar na lama e tomar chuva para ver o Antonov. Ele afirma que sua vida mudou quando ficou sabendo que a aeronave viria para Campinas.

“Muda completamente. O Antonov é uma paixão para todo mundo que gosta de aviação. O 124, que é o irmão menor dele, já veio para cá e o sonho de todo spotter é fotografar o 225. Quando vimos o pedido de voo, causou uma euforia e a expectativa era grande e só aumentava a cada dia que passava. Tava ansioso. Tem gente do Rio Grande do Sul, da Bahia, Fortaleza, São Paulo e Rio Janeiro. Vale a pena, compensa”, destaca.

Spotters acompanham o pouso do Antonov em Viracopos, Campinas (Foto: Roberta Steganha / G1)

Fora do aeroporto
Do lado de fora, também teve muita gente que se aventurou na chuva e na lama para ver o Antonov. Uma família de Curitiba (PR) viajou 7h30 até Campinas, nesta segunda-feira (14), só para ver o pouso do maior avião do mundo.

antonov1