Após ser vítima de trote também na FAI, Tupãense tem a visão afetada

0
603

No mesmo dia em que uma adolescente de 17 anos de Flórida Paulista denunciou as queimaduras sofridas durante um trote na Faculdades Adamantineses Integradas (FAI) de Adamantina, um tupãense de 18 anos, C. E. C. I., também foi vítima da agressão de alguns estudantes “veteranos”.

De acordo com a avó do jovem, Cleuza da Silva Castilho, o rapaz já passou três vezes por atendimento médico e foi constatada uma lesão na córnea causada por queimadura. O jovem que é estudante do curso de Engenharia Ambiental procurou duas vezes a Unidade de Saúde e a UPA- Unidade de Pronto Atendimento, em Tupã.

“Na hora de descer dos ônibus ele foi obrigado a ficar sentado no chão, todos enfileirados. Foi quanto jogaram o líquido”, comenta a avó.

Possivelmente, o líquido seja o mesmo ácido jogado contra as pernas da adolescente do curso de pedagogia que passou por exame de Corpo Delito e registrou a denúncia na Delegacia da Defesa da Mulher.

Agora a família corre contra o tempo para que o universitário não tenha a visão afetada. Nesta quinta-feira (05), o rapaz será encaminhado para Marília para o diagnóstico do tipo de lesão.

A dona Cleuza informou em entrevista ao jornal Rotativa da Rádio Tupã que a filha já procurou a faculdade para denunciar o caso.

“A minha filha já entrou em contato e eles (A FAI) alegaram que não tem culpa sobre isso. Mas a minha filha alegou que foi em frente ao portão da faculdade, então eu acho que tem culpa sim”, conclui a avó.

Matriculas-e-Trote-08-02-12-109

Fonte: Tupacity