Palmeiras usa “projeto Mundial” para seduzir reforços, que repetem discurso

0
728
Na sexta-feira, Mattos apresentou o goleiro Vagner (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Na sexta-feira, Mattos apresentou o goleiro Vagner (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

É certamente sedutor o projeto que Alexandre Mattos apresenta àqueles que traz para o Palmeiras. Depois de 25 contratações em 2015, o diretor de futebol acertou com outros sete reforços para este ano. Reforços que mostram ter em comum uma grande confiança na conquista da Taça Libertadores.

– Espero em dezembro, quando conquistarmos o Mundial, dar a volta olímpica com a foto dele –  disse o goleiro Vagner, apresentado na sexta-feira, referindo-se ao filho recém-nascido.

Dois dias antes do ex-jogador do Avaí, o zagueiro Edu Dracena, que rescindiu com o campeão brasileiro Corinthians para jogar no Palmeiras, já havia justificado a troca por um rival com discurso semelhante, esperançoso de estar no Japão no fim do ano.

– Já passei uma experiência boa na Libertadores, fui campeão em 2011 (no Santos). Meu objetivo é ser campeão mundial, espero ser no Palmeiras. Isso é que eu almejo – falou Dracena na quarta-feira.

No planejamento para 2016, traçado com a diretoria antes mesmo de garantida a vaga na Libertadores por meio da conquista da Copa do Brasil, Mattos não incluiu o título mundial, mas já apontava a disputa do principal torneio sul-americano (e o quadrangular amistoso no Uruguai) dentro do orçamento.

Com possíveis reforços e empresários, a certeza de sucesso nas conversas é a mesma. O dirigente tem grande poder de convencimento e gosta de explicar detalhadamente as metas que compartilha com o presidente do clube, o igualmente ambicioso Paulo Nobre.

Além de Vagner e Dracena, o clube contratou para esta temporada também o zagueiro Roger Carvalho, o volante Rodrigo, os meias Régis e Moisés e o atacante Erik.